Food service: 6 medidas para evitar a contaminação dos seus clientes com o novo Coronavírus

A pandemia do novo Coronavírus veio de repente e trouxe muitas dúvidas e incertezas para o mundo todo, inclusive ao mercado de food service quanto à segurança da manipulação dos alimentos. Pelo menos, em relação a isso, podemos ficar mais tranquilos: segundo a Autoridade Europeia de Segurança dos Alimentos (EFSA), até o momento, não há riscos de transmissão da Covid-19 por alimentos. 

No entanto, a contaminação ocorre pelo contato próximo com alguém infectado ou com objetos e superfícies contaminadas. E é aí que mora o grande perigo: o vírus pode permanecer por horas ou até mesmo dias em embalagens, talheres, pias, louças, entre outros utensílios utilizados na cozinha.

Você sabe quais são os cuidados necessários para evitar a contaminação dos seus clientes no food service? Descubra 6 medidas que podem fazer a diferença!

Passo a passo da descontaminação no food service 

O food service precisa ter cuidados na preparação e no processo de delivery, que tem sido a principal forma de venda em 2020. Para você saber quais cuidados são esses, mostraremos 6 deles a seguir:

1) Lavar as mãos com frequência

A pessoa responsável pelo manuseio dos alimentos precisa lavar as mãos com regularidade. O álcool em gel 70º cumpre seu papel, mas se for possível, opte por usar bastante água e sabão, ou outro produto que tenha a mesma finalidade (como detergente). 

Durante o processo, é necessário esfregar todas as partes das mãos, como os dedos, os espaços entre eles, os punhos e as unhas. É necessário adotar essa medida com frequência e especialmente:

  • antes de manusear os alimentos, cozidos ou crus;
  • após tossir, coçar e/ou levar as mãos ao rosto;
  • após manusear objetos que possam estar contaminados, como celular, maçaneta, lixo, dinheiro e chaves;
  • após utilizar o sanitário;
  • após tarefas de limpeza.

2) Usar máscara ou não?

De acordo com a Anvisa, o uso de equipamentos de proteção individual (EPI), como máscaras e luvas, não é obrigatório nas empresas de alimentos, desde que a higienização do local, dos objetos e das pessoas estejam corretos. Por outro lado, se a empresa adotar o uso dos EPIs, é necessário reforçar as medidas de substituição e de higiene desses equipamentos.

Segundo a Nota Técnica nº 23/2020, o uso de luvas “passa uma falsa sensação de segurança”, pois pode acontecer do manipulador de alimentos utilizá-la para outros fins (como tocar em objetos contaminados) e não priorizar a higienização das mãos. 

Já em relação ao uso de máscaras, a nota da Anvisa afirma que a medida deve ser avaliada caso a caso, mas recomenda as orientações do Ministério da Saúde

Segundo o Ministério da Saúde, há a recomendação para a população utilizar máscaras caseiras de tecido ao sair à rua. Isso evita a propagação de gotículas de saliva, que são o agente infeccioso de quem está contaminado com o novo Coronavírus. 

Se você for utilizá-la durante o preparo dos alimentos de food service, é necessário tomar alguns cuidados:

  • a máscara precisa cobrir totalmente a boca e o nariz e estar bem ajustada ao rosto;
  • o seu uso é individual;
  • evite tocá-la;
  • ao chegar em casa, lave as mãos com água e sabão antes de retirá-la;
  • remova a máscara pela parte traseira ou pelo nó, sem tocar a frente;
  • lave a máscara deixando-a em uma solução de água potável e água sanitária por 30 minutos;
  • após a secagem, passe-a com um ferro quente;
  • troque a máscara sempre que houver sinais de desgaste.

No entanto, no caso das entregas delivery, o uso da máscara se torna imprescindível, devido à exposição nas ruas. 

3) Priorizar as demais formas de higiene na sua rede de food service

Além de lavar as mãos e de usar máscaras, é fundamental adotar outras medidas de higiene durante o preparo dos alimentos:

  • mantenha as unhas curtas e sem acessórios que possam acumular agentes infecciosos, como: relógios, anéis e pulseiras;
  • não converse, tussa e espirre em cima dos alimentos, utensílios e superfícies;
  • mantenha as superfícies, os utensílios e o ambiente sempre devidamente limpos, utilizando água, sabão e sanitizantes ou água sanitária.

4) Cozinhar bem os alimentos

Segundo a Anvisa, que cita a Organização Mundial da Saúde, o grupo de vírus pertencente à família do novo Coronavírus é sensível às altas temperaturas, em torno dos 70ºC, que costumam ser as mesmas utilizadas para cozinhar os alimentos. Por isso, é extremamente recomendável que os alimentos sejam devidamente cozidos. 

5) Prestar atenção aos alimentos crus

Em caso de alimentos consumidos crus, como vegetais e frutas, tenha a atenção redobrada com a sua higiene e com a sua procedência. A recomendação do Centro de Pesquisa em Alimentos (FoRC) da Universidade de São Paulo (USP) é lavar esses alimentos com água corrente e deixá-los em imersão, por 15 minutos, em uma solução com água e produtos à base de cloro. 

6) Praticar boas medidas de delivery

A pandemia do novo Coronavírus trouxe muitas mudanças ao mundo, inclusive à forma de consumo das pessoas. Como as pessoas foram orientadas a aderir a auto-quarentena, muitos restaurantes, bares, lanchonetes, padarias, entre outros serviços de food service estão precisando recorrer ao delivery para sobreviver. 

E, realmente, a prática tem surtido efeito. De acordo com um levantamento feito pela consultoria Kantar, 53% dos brasileiros pediram delivery de duas a três vezes por semana na fase inicial da quarentena.

Mas para trazer mais segurança ao entregador e ao cliente, é necessário adotar boas medidas antes, durante e após o transporte do pedido:

  • opte pelas embalagens de papelão, nas quais o vírus sobrevive por até 24 horas (ao contrário das embalagens de plástico, nas quais o período de vida dura de dois a três dias);
  • higienize as embalagens com uma solução de água corrente junto com água sanitária;
  • se for possível, cadastre a sua rede de food service em um aplicativo de entrega tercerizada, no qual o cliente possa realizar o pagamento remoto. Se não for possível, higienize constantemente as máquinas de cartão;
  • incentive os entregadores a manterem uma distância segura, de 1,5 m, do cliente;
  • recomende aos clientes que descartem as embalagens logo após a chegada do alimento. 

Conclusão

O novo Coronavírus impactou o mercado de food service no mundo inteiro, mas é possível contornar as adversidades com as 6 medidas que apresentamos acima. Lembre-se, sempre, de priorizar a higiene e de manter os seus colaboradores seguros contra a Covid-19.

E para você continuar vendendo durante o período de pandemia, é extremamente necessário contar com um bom fornecedor de confiança, que não deixe você na mão e que respeite as devidas práticas de higiene e de segurança alimentar. 

Não deixe de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!