Lucro no palito: 3 dicas para vender picolé

Você tem uma sorveteria movimentada, que está sempre com clientes querendo se refrescar, mas deseja se destacar da concorrência e oferecer opções diferenciadas de produtos? Que tal apostar na venda de picolés? E você que produz em larga escala e revende para os estabelecimentos, como supermercados, também vale a mesma dica: aposte na produção e venda de picolés. Eles são famosos pela sua praticidade, variedade e custo, e vão com certeza fidelizar a sua clientela e atrair mais interessados. 

Mas para você ter o sucesso desejado com a venda de picolés, é necessário conhecer um pouco mais sobre as suas especificidades que se diferenciam das do sorvete de massa. Saiba mais sobre esse produto a seguir e incorpore-o já no seu estabelecimento ou na sua produção!

3 dicas para vender picolé

1) Conheça os tipos existentes de picolé

Engana-se quem pensa que só existe um tipo de picolé! Na realidade, o mercado sorveteiro precisou se reinventar para dar conta das exigências e necessidades dos clientes. 

Portanto, quanto mais você investir na personalização desses produtos, trabalhando com a variedade de formatos e de sabores, maior será a quantidade de clientes que o seu estabelecimento vai atrair, destacando-se da concorrência. 

Conheça só alguns dos tipos de picolé que existem hoje e que fazem sucesso: 

Picolé tradicional: o mais comum de todos, que consiste na calda congelada no palito. A calda é congelada em uma máquina chamada produtora e ele é desinformado para ser embalado. 

Picolé diet: é a mesma versão do picolé tradicional, só que sem a adição do açúcar, que pode ser substituído por adoçantes. Ele pode ser trabalhado com frutas e demais ingredientes naturais. 

Paleta mexicana: é um picolé recheado de leite condensado, chocolate, iogurte ou demais sabores que você desejar. Nesse formato, não se deve esperar congelar a calda totalmente, a fim de conseguir preencher o interior do produto.

Picolé com cobertura de chocolate: essa casquinha torna o produto mais saboroso e a escolha perfeita para quem gosta de doce! A sua produção é a mesma do picolé tradicional, basta banhar o produto em chocolate após ele ser desenformado. Isso pode ser realizado com o auxílio de uma máquina que deixe o trabalho uniforme e ainda mais atrativo.

Picolé 100% natural: todo o seu processo de fabricação é natural e ele leva ingredientes sem açúcar, conservantes e corantes, sendo que os sabores de frutas são os mais populares. Geralmente, esse produto tem um prazo de validade menor e um preço um pouco mais caro do que o picolé tradicional, já que a sua produção é artesanal. Porém, ele é uma ótima escolha para quem deseja consumir um produto saudável e refrescante. 

Picolé extrusado: esse é um sorvete de massa no palito, que pode ter (ou não) cobertura de chocolate. Ele possui uma textura bastante cremosa e firme. De forma geral, a produção desse tipo de picolé ocorre em um equipamento próprio de extrusão.

Picolé sem lactose: essa é uma opção especial para os veganos ou para os que possuem intolerância à lactose. Vale apostar em uma linha desse tipo para dar mais opções ao cliente. Dessa forma, você não precisa adicionar leite no produto e agradar os mais diversos tipos de cliente, que ainda desejam se refrescar com um delicioso picolé!

Picolé marmorizado: são produtos coloridos e atraentes, que possuem uma textura similar ao do mármore. De forma geral, eles misturam sabores diferentes, chocolate e polpas de frutas. Eles são feitos da mesma forma do picolé tradicional, mas é possível acelerar a sua produção utilizando dosadores, que ajudam a deixar o produto com acabamento uniforme. 

2) Saiba quais são os equipamentos utilizados no processo

A falta dos equipamentos necessários complica ou até mesmo torna o processo de produção incapaz. Por isso, preste muita atenção no que você precisa ter na produção da sua sorveteria para vender as mais diversas picolé!

Máquina produtora: esse é o equipamento responsável por congelar a calda. 

Formas de produção: elas possuem várias cavidades para dosar a calda e, posteriormente, acrescentá-la por cima do picolé.

Alinhador: esse produto tem uma série de furos, que centralizam e posicionam corretamente os palitos que serão acomodados dentro da forma durante a produção. 

Desenformador: facilita o desmolde dos picolés de suas formas por meio de choque térmico, o que deixa o produto uniforme, firme e pronto para ser embalado. Esse equipamento também pode vir com cubas para auxiliar no banho maria, que permite fazer o picolé com casca/cobertura com chocolate. 

Forma para paleta mexicana: esse equipamento tem um tamanho mais largo em relação à forma do picolé tradicional, por conta do formato da paleta mexicana. 

Extrator: tem o objetivo de tirar todos os picolés da forma de uma só vez. O ideal é que ele seja do mesmo modelo da forma. 

3) Aposte na calda pronta

A calda pronta é um produto revolucionário, versátil, prático e econômico, e é responsável por otimizar e agilizar a produção de picolé. Sabe por quê? Porque esse produto já vem pasteurizado, homogeneizado e maturado, eliminando metade das etapas de uma produção convencional, que precisa pasteurizar, homogeneizar e maturar a calda.

Com isso, você ganha no mínimo 4 horas a mais, começando a sua produção na parte do resfriamento da calda e garantindo o mesmo sabor e a mesma qualidade de uma calda feita da forma convencional.

Outra grande vantagem da calda pronta é que, durante a etapa de saborização, ela permite que você utilize frutas e aromas naturais, deixando o produto mais saudável e sem a adição de grandes quantidades de aromas e de saborizantes artificiais. Mas ela também combina com demais saborizantes, sempre produzindo um sorvete cremoso e com alta resistência ao derretimento, o que é ideal para o seu cliente. 

Conclusão

Pode ter certeza que produzir picolés para revender aos estabelecimentos ou vender picolés na sua sorveteria é sinônimo de sucesso! Afinal, as pessoas estão consumindo picolés não só no verão, mas também no inverno, porque eles são deliciosos, práticos e combinam com todos os momentos. 

Se você optar pela venda desse produto, lembre-se de que você terá ainda mais sucesso se optar pelo uso da calda pronta que, como você já viu, traz inúmeras vantagens para a sua produção. 

Mas para obter o máximo de proveito dela, repare na sua data de validade e na sua forma de armazenamento. Os melhores fornecedores entregam embalagens inovadoras, que possuem uma longa durabilidade e que podem ser armazenadas em temperatura ambiente. Basta resfriar, saborizar e produzir!


Não deixe de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!